loading

Os Australian Shepherds, chamados afetivamente de “Aussies”, foram criados para mover e controlar gado e para trabalhar em todos os afazeres de um rancho. Como cães de pastoreio eles são predominantemente cães para gado, e trabalham na cabeça e na canela do gado podendo ser igualmente bons para ovelhas. Enquanto uma linhagem de Aussies continua a se manter muito fiel à sua origem como cães de pastoreio a raça hoje ganhou o reconhecimento de suaversatilidade e competência por causa de sua apurada inteligência, fácil treinabilidade e ânsia em agradar seu dono.Hoje trabalham em muitas outras áreas, seja Agility ,Flyball, Frisbee, Obediência, Busca e Resgate, Tracking, Serviço de Terapia Hospitalar, Serviço para Cegos e Deficientes e Detecção de drogas .Acima de tudo são companheiros maravilhosos e afetuosos e adoram participar de todos os eventos familiares. Se criados com crianças são extraordinários companheiros de brincadeiras!

Foram construídos para serem de tamanho e de ossatura moderados. Os cães de Conformação tendem a ser maiores que os de pastoreio.No geral devem ser ágeis, rápidos, “leves” ao correr e saltar, e tudo neles deve ser avaliado como ‘moderado” e “harmônico”.Há um certo padrão em altura para machos e fêmeas, 51-58cms. para os machos e 46-54 cms. para as fêmeas, MAS a qualidade NUNCA deve ser preterida em favor do tamanho! 

Suas cores básicas são Preto e Vermelho (com ou sem marcas brancas e tan) e os Merle, Azul e Vermelho, (com ou sem marcas brancas e tan). Os olhos podem ter colorações muito variadas marrom, azul, ambar, ou qualquer variação ou combinação o que pode incluir um olho de cada cor ou várias cores num mesmo olho.

 

Cores do Australian Shepherd

thumb_caoBlue-merle

Red-merle

Black-tri

Red-tri

Alguns cães são naturalmente anuros mas o padrão exige cauda bem curta até 10 cm. (4 polegadas).

Eles são voltados para as pessoas. Tem grande necessidade de estar junto a seu dono, seguindo –o a cada passo em casa ou fora. O isolamento ou a exclusão do convívio social podem alterar e arruinar o temperamento de um Aussie. Não são cães para ficarem “lá fora no quintal”!

Eles mantém um forte instinto de guarda e pastoreio e são altamente territoriais. Se bem socializados e treinados são o companheiro ideal para uma família. São gentis guardiões de crianças e adoram brincar com elas e com adultos. São todavia muito reservados com estranhos.

Possuem um extraordinário senso de humor e enorme disposição para o trabalho que os torna incansáveis, embora sejam capazes de ficar horas sentados ao pé de seu dono. São ATIVOS mas não ELÉTRICOS.

São bastante saudáveis e atléticos com uma expectativa de vida de mais ou menos 12 anos.

Uma das prioridades para utilizar integralmente o potencial de um Aussie é propiciar ao cão aulas de Obediência básica e um “trabalho” para que não se entendie e inicie comportamentos agressivos de mordiscar ou cavar,ou auto-flagelar-se lambendo-se muito, etc.

Sua genética é bastante complexa. Os Merles são “heterozigotos Mm” e não devem ser cruzados entre si, já que esse cruzamento necessariamente produzirá 25% de filhotes “brancos” ou letais que devem ser eutanaziados ao nascer. Se mantidos vivos apresentarão cardiopatias, cegueira, surdez, entre outras doenças.

A raça pode apresentar a incidência de algumas doenças genéticas. As mais comuns são a displasia coxo femural, doenças genéticas de olhos (Catarata, “Olho de Collie”. Atrofia Progressiva da Retina, Deslocamento de retina, Coloboma, “Small eye”), Epilepsia, Doenças Auto imunes e Alergias. De todas essas as mais prevalentes são a displasia coxo femural e as doenças genéticas de olhos. Por isso, antes de cruzar o criador deve submeter seus cães ao raio X na idade de 2 anos e submetê-lo ao aval da OFA – Orthopedic Foundation for Animals , que mantém um banco de dados e estuda o assunto. Igualmente devem ser examinados por um veterinário oftalmologista uma vez por ano para obterem um certificado de “olhos limpos” para a cria. Existe uma organização internacional CERF – Canine Eye Registration Foundation que é um instituto de pesquisa e estuda doenças genéticas nos olhos e cujos profissionais emitem um certificado que capacita o animal para o cruzamento. Isso ainda não existe no Brasil mas a Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia da Universidade de São Paulo está amplamente capacitada para realizar estes exames.

O Raio X feito aos 2 anos é definitivo.

Os exames de olhos devem ser anuais, pois há algumas doenças genéticas que não aparecem ao nascer e se manifestam a posteriori.

Por isso, antes de cruzar o criador deve submeter seus cães ao raio X  do coxo femural e de cotovelos na idade de 2 anos e submetê-lo ao aval da OFA, que mantém um banco de dados Internacional.

Muitas dúvidas sobre a genética dos Australian Shepherds podem ser dirimidas com a leitura atenta deste site: Genetics Institute – http://www.ashgi.org/index.htm 

DATAS HISTÓRICAS 

Em 1957 – fundou-se o ASCA – Australian Club of América nos Estados Unidos.
1976 – unificaram-se todos os “Registros” e o padrão da raça
1990 – Foi fundado o USASA – United States Australian Shephepherd Association que foi vinculada ao AKC e tornou-se o club “mãe” à revelia do ASCA.
1991 – O American Kennel Club reconheceu a raça mas não aceitou o ASCA como club mãe.
Em 1993 – o AKC aceitou a raça no Grupo dos Pastores.
Em 1996 A Raça foi reconhecida em caráter provisório pela FCI.
Em 25 DE MAIO DE 2007 – raça é definitivamente reconhecidada pela FCI, Federação de Cinofilia Internacional. (*) CH CHILENO WIND SPIRIT KING´S ROYAL FLASH “JAZZ” foi o primeiro Australian Shepherd no mundo a ganhar o primeiro CACIB no dia 26 de Maio no Mundial do México onde também se sagrou o CAMPEÃO DA MUNDIAL 2007 DA RAÇA!