loading

Os Australian Shepherds, chamados afetivamente de “Aussies”, foram criados para mover e controlar gado e para trabalhar em todos os afazeres de um rancho. Como cães de pastoreio eles são predominantemente cães para gado, e trabalham na cabeça e na canela do gado podendo ser igualmente bons para ovelhas. Enquanto uma linhagem de Aussies continua a se manter muito fiel à sua origem como cães de pastoreio a raça hoje ganhou o reconhecimento de suaversatilidade e competência por causa de sua apurada inteligência, fácil treinabilidade e ânsia em agradar seu dono.Hoje trabalham em muitas outras áreas, seja Agility ,Flyball, Frisbee, Obediência, Busca e Resgate, Tracking, Serviço de Terapia Hospitalar, Serviço para Cegos e Deficientes e Detecção de drogas .Acima de tudo são companheiros maravilhosos e afetuosos e adoram participar de todos os eventos familiares. Se criados com crianças são extraordinários companheiros de brincadeiras!

Foram construídos para serem de tamanho e de ossatura moderados. Os cães de Conformação tendem a ser maiores que os de pastoreio.No geral devem ser ágeis, rápidos, “leves” ao correr e saltar, e tudo neles deve ser avaliado como ‘moderado” e “harmônico”.Há um certo padrão em altura para machos e fêmeas, 51-58cms. para os machos e 46-54 cms. para as fêmeas, MAS a qualidade NUNCA deve ser preterida em favor do tamanho! 

Suas cores básicas são Preto e Vermelho (com ou sem marcas brancas e tan) e os Merle, Azul e Vermelho, (com ou sem marcas brancas e tan). Os olhos podem ter colorações muito variadas marrom, azul, ambar, ou qualquer variação ou combinação o que pode incluir um olho de cada cor ou várias cores num mesmo olho.

 

Cores do Australian Shepherd

thumb_caoBlue-merle

Red-merle

Black-tri

Red-tri

Alguns cães são naturalmente anuros mas o padrão exige cauda bem curta até 10 cm. (4 polegadas). Na prática as caudas são amputadas no 3o. dia de nascimento bem curtas.

Eles são voltados para as pessoas. Tem grande necessidade de estar junto a seu dono, seguindo –o a cada passo em casa ou fora. O isolamento ou a exclusão do convívio social podem alterar e arruinar o temperamento de um Aussie. Não são cães para ficarem “lá fora no quintal”!

Eles mantém um forte instinto de guarda e pastoreio e são altamente territoriais. Se bem socializados e treinados são o companheiro ideal para uma família. São gentis guardiões de crianças e adoram brincar com elas e com adultos. São todavia muito reservados com estranhos.

Possuem um extraordinário senso de humor e enorme disposição para o trabalho que os torna incansáveis, embora sejam capazes de ficar horas sentados ao pé de seu dono. São ATIVOS mas não ELÉTRICOS.

São bastante saudáveis e atléticos com uma expectativa de vida de mais ou menos 12 anos.

Uma das prioridades para utilizar integralmente o potencial de um Aussie é propiciar ao cão aulas de Obediência básica e um “trabalho” para que não se entendie e inicie comportamentos agressivos de mordiscar ou cavar,ou auto-flagelar-se lambendo-se muito, etc.

Sua genética é bastante complexa. Os Merles são “heterozigotos Mm” e não devem ser cruzados entre si, já que esse cruzamento necessariamente produzirá 25% de filhotes “brancos” ou letais que devem ser eutanaziados ao nascer. Se mantidos vivos apresentarão cardiopatias, cegueira, surdez, entre outras doenças.

A raça pode apresentar a incidência de algumas doenças genéticas. As mais comuns são a displasia coxo femural, doenças genéticas de olhos (Catarata, “Olho de Collie”. Atrofia Progressiva da Retina, Deslocamento de retina, Coloboma, “Small eye”), Epilepsia, Doenças Auto imunes e Alergias. De todas essas as mais prevalentes são a displasia coxo femural e as doenças genéticas de olhos. Por isso, antes de cruzar o criador deve submeter seus cães ao raio X na idade de 2 anos e submetê-lo ao aval da OFA – Orthopedic Foundation for Animals , que mantém um banco de dados e estuda o assunto. Igualmente devem ser examinados por um veterinário oftalmologista uma vez por ano para obterem um certificado de “olhos limpos” para a cria. Existe uma organização internacional CERF – Canine Eye Registration Foundation que é um instituto de pesquisa e estuda doenças genéticas nos olhos e cujos profissionais emitem um certificado que capacita o animal para o cruzamento. Isso ainda não existe no Brasil mas a Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia da Universidade de São Paulo está amplamente capacitada para realizar estes exames.

O Raio X feito aos 2 anos é definitivo.

Os exames de olhos devem ser anuais, pois há algumas doenças genéticas que não aparecem ao nascer e se manifestam a posteriori.

Por isso, antes de cruzar o criador deve submeter seus cães ao raio X  do coxo femural e de cotovelos na idade de 2 anos e submetê-lo ao aval da OFA, que mantém um banco de dados Internacional.

Muitas dúvidas sobre a genética dos Australian Shepherds podem ser dirimidas com a leitura atenta deste site: Genetics Institute – http://www.ashgi.org/index.htm 

DATAS HISTÓRICAS 

Em 1957 – fundou-se o ASCA – Australian Club of América nos Estados Unidos.
1976 – unificaram-se todos os “Registros” e o padrão da raça
1990 – Foi fundado o USASA – United States Australian Shephepherd Association que foi vinculada ao AKC e tornou-se o club “mãe” à revelia do ASCA.
1991 – O American Kennel Club reconheceu a raça mas não aceitou o ASCA como club mãe.
Em 1993 – o AKC aceitou a raça no Grupo dos Pastores.
Em 1996 A Raça foi reconhecida em caráter provisório pela FCI.
Em 25 DE MAIO DE 2007 – raça é definitivamente reconhecidada pela FCI, Federação de Cinofilia Internacional. (*) CH CHILENO WIND SPIRIT KING´S ROYAL FLASH “JAZZ” foi o primeiro Australian Shepherd no mundo a ganhar o primeiro CACIB no dia 26 de Maio no Mundial do México onde também se sagrou o CAMPEÃO DA MUNDIAL 2007 DA RAÇA!